Consumir frutos e legumes pode diminuir o risco de cancro do pâncreas em 67%

De todos os cancros, o do pâncreas é um dos que mais mata, com cerca de 3% de doentes a viver mais de 5 anos após o diagnóstico. Os néumeros de casos deste tipo de cancro tem subido, particularmente em países de maiores rendimentos, onde é mais comum. É raro em África e na Ásia. Como se sabe estas assimetrias nas taxas de incidência mostram haver fatores de risco específicos de cada região que se traduzem nestes números. Trata-se quase sempre de causas ambientais, nomeadamente do tipo de dieta e estilo de vida que se pratica em cada país. Segundo o relatório da WCRF/AICR, com graus de certeza diferentes, conhecem-se alguns fatores que aumentam o risco de cancro do pâncreas:

  • Gordura corporal: a obesidade é um fator de risco para vérios tipos de cancro. Existe uma relação estabelecida entre obesidade e resistência à insulina e diabetes. Esta condição aumenta os níveis de várias hormonas tais como a insulina, fatores de crescimento semelhantes à insulina (IGF-1) e estrogénios, criando assim um ambiente que encoraja a carcinogénese e desencoraja a apoptose. Além disso aumenta também os níveis de inflamação no organismo, outra condição favorável ao desenvolvimento do cancro.
  • Tabagismo: Aproximadamente 25% de todos os cancros do pâncreas estão relacionados com o hábito de fumar.
  • Gordura abdominal: Independentemente da gordura corporal, a gordura acumulada na zona abdominal é particularmente indicativa de um maior risco de vários tipos de cancro, uma vez mais por estar relacionado com níveis superiores de insulina, estrogénio e indicadores de inflamação, todas estas condições tendo um papel determinante nos mecanismos biológicos do cancro.
  • Carnes vermelhas: estando já estabelecida como um fator de risco para o cancro colo-retal, parece estar associado com um risco superior de cancro do pâncreas. A carne vermelha contém um tipo de ferro (heme) muito reativo podendo levar à produção de radicais livres. Além disso quando cozinhadas a altas temperaturas produzem substâncias carcinogénicas tais como as aminas heterocíclicas e os hidrocarbonetos aromáticos.

Segundo o mesmo relatório, dois fatores parecem ser protetores:

  • Folatos: o folato presente em alguns alimentos de origem vegetal parece reduzir o risco deste cancro, embora não se consiga separar completamente este benefício de outros componentes presentes nesses alimentos. O folato tem um papel important na síntese e reparação do ADN. Os suplementos de ácido fólico não parecem ter os mesmos benefícios.
  • Frutos: O consumo de frutos parece estar relacionado com uma diminuição de risco. Provavelmente as suas propriedades protetoras devem-se à combinação de vários dos seus constituintes tais como antioxidantes e fitoquímicos, os quais todos juntos podem interferir em vários mecanismos envolvidos na carcinogénese.
  • Atividade Física: a atividade física pode diminuir os níveis de insulina e inflamação no organismo afetando assim condições necessárias ao desenvolvimento do cancro.

Um estudo publicado nos últimos dias vem confirmar a importância do consumo de frutos e vegetais na prevenção do cancro do pâncreas. De acordo com investigadores responsáveis pelo braço de Norfolk da Investigação Prospetiva Europeia do Cancro (EPIC), se os números estão corretos e se poder demonstrar uma relação causal, 1 em cada 13 cancros deste tipo poderiam ser prevenidos através de um consumo de alimentos ricos em vitamina C, E e Selénio. 23500 voluntários foram seguidos durante 4 anos. Aqueles que consumiram mais quantidades de alimentos ricos nestes nutrientes mostraram ter 67% menos probabilidades de desenvolver cancro do pâncreas quando comparados com as pessoas com menor consumo. Outros estudos nos quais se utilizaram suplementos não obtiveram os mesmos resultados, o que indica have uma diferença significativa entre esses suplementos e o consumo dos nutrientes e fitoquímicos no seu estado natural. Este facto tem sido demonstrado em vários estudos diferentes.

Algumas fontes ricas em folatos são:

  • Lentilhas
  • Espinafres
  • Feijão preto
  • Couve Galega
  • Brócolos
  • Salsa
  • Nabiças

Algumas fontes ricas em Selénio:

  • Castanha do Brasil (um dos alimentos com maior concentração deste mineral)
  • Levedura de cerveja
  • Germen de trigo
  • Alho
  • Sementes de girassol
  • Sementes de sésamo
  • Cogumelos

“Se uma associação causal for confirmada, então recomendações nutricionais à população poderão ajudar a prevenir o cancro do pâncreas”, concluem os investigadores.

Referências:

http://www.sciencedaily.com/releases/2012/07/120723193203.htm

http://gut.bmj.com/content/early/2012/06/28/gutjnl-2011-301908.short?g=w_gut_ahead_tab

http://www.dietandcancerreport.org/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s